Beleza no Caos

Dos vários setores que a fotografia abrange, um dos que mais me chama atenção é o fotojornalismo. Não só o fotojornalismo clássico que ilustra matérias de jornais, revistas e internet, mas principalmente aquele que mostra beleza nos lugares não convencionais, que mostra a beleza inclusive onde há tristeza.

Já repararam na beleza de um raio antes da tempestade? No cogumelo de fumaça ou as labaredas invadindo espaços durante o incêndio? Ou presenciar a formação de um tornado, bem aos moldes daquele filme Twister?

Certa vez, tive a oportunidade de fotografar cemitérios e dentro deles existem verdadeiras obras de arte em seus túmulos. E quando eu falo em obras de arte, falo no sentido literal, pois há esculturas que foram feitas por artistas como Victor Brecheret.

Outro tipo de beleza no caos é o que faz o mestre Sebastião Salgado, que retrata o mundo, as pessoas em condições de extrema precariedade, quase que até sub-humanas em suas andanças pelo mundo, mas particularmente no continente africano, que segundo ele próprio é seu lugar preferido.

Esse tipo de fotografia me interessa. Contar uma historia ou mostrar uma situação naturalmente triste mas mostrando um lado poético, um lado que ninguém consegue observar em meio a tristeza ou ao infortúnio. Gosto dessas imagens que mostrem que existe beleza no caos.

Raphael Prado

Fotógrafo graduado pelo Senac, apaixonado por música, futebol e por novas formas de retratar o cotidiano.