Estereótipos

A sociedade, a mídia, a moda nos bombardeiam com informações, regras e estereótipos a serem seguidos, em sua maioria eles estão ligados a um conceito de beleza e padrão de corpo perfeito. As mulheres têm que se parecer com as bailarinas dos programas de auditório e os homens com os modelos recém-saídos dos reality shows.

Percebo que há uma corrente de pessoas que seguem na contramão dessas regras, pessoas com corpos normais (fora dos padrões que citei acima), aderindo por exemplo aos ensaios fotográficos sensuais, valorizando seus corpos com o que eles têm de melhor sem que ele esteja ligado a todas as convenções ou na famosa medida certa, até porque tirando aquele quadro do programa dominical, o que é mesmo medida certa?

No final do mês passado uma amiga fez um tipo de brincadeira no Twitter onde ela pedia aos seus seguidores que postassem fotos pessoais de forma que valorizassem seus corpos, poderia ser nu, seminu, de biquíni, cueca, enfim. E para minha (grata) surpresa essa brincadeira durou a tarde de um domingo inteira com várias postagens e com a promessa que haverá novas edições dessa brincadeira.

Semana passada postei um ensaio sensual aqui no site e o comentário que mais me chamou foi no Instagram que achou legal o ensaio pois não era com uma modelo com um corpo imposto pela sociedade.

Não estou aqui fazendo propaganda contra vida saudável, boa alimentação ou pratica de esportes, apenas estou falando que não devemos ter essa paranoia do corpo perfeito, pois corpo perfeito é o seu.

 

01
Abraços e até semana que vem

Raphael Prado

Fotógrafo graduado pelo Senac, apaixonado por música, futebol e por novas formas de retratar o cotidiano.