Pinhole

Posted on

Durante o Festival de Inverno de Paranapiacaba o Grupo CIDADE INVERTIDA  oferecia gratuitamente uma oficina de Pinhole.

O professor Ricardo Hantzschel leva o grupo de participantes para dentro de um trailer e em pouco minutos faz uma explicação sobre como funcionam nossos olhos e a relação disso com o funcionamento de uma câmera fotográfica e logo após essas explicações Ricardo ainda ensina como usar a câmera Pinhole.

O grupo de participantes da oficina tem em média 15 minutos para fazer a sua foto com a Pinhole e devolver a câmera para a equipe que ajuda o professor Ricardo iniciar o processo de revelação da foto.

Convidados a retornar para o interior do trailer, o grupo de participantes presencia como é o processo de revelação da foto, começando pela abertura da câmera e retirada do papel fotográfico, mergulhando o papel fotográfico nos recipientes com os químicos “revelador”, “Interruptor”e “fixador” e o banho final em água para a retirada do excesso dos produtos químicos.

Há muito tempo eu já tinha feito foto Pinhole e foi bacana ver a reação das pessoas tendo essa experiência pela primeira vez, ainda mais em tempos de muita tecnologia e fotografia digital é legal ver as pessoas descobrindo como é feito o processo analógico daquilo que ela conhece no digital

Conheça mais sobre o projeto Cidade Invertida e o trabalho do professor Ricardo Hantzschel e sua equipe no site https://www.cidadeinvertida.com.br/

 

 

Câmera Pinhole
Michelle participando da ocifina Pinhole
Eu durante a oficina de Pinhole
No varal a foto que eu fiz
Michelle e eu ao término da oficina

 

Raphael Prado

Fotógrafo graduado pelo Senac, apaixonado por música, futebol e por novas formas de retratar o cotidiano.